agosto 19, 2017

Parada opcional

Pare o que estiver fazendo e sinta, apenas sinta:
- O momento
- A respiração
- A música do silêncio interior
- O canto das sereias
- O murmurar dos antepassados

Fique por mais alguns instantes e reflita:
- Se vale a pena sofrer em vão
- Lutar pelo que não é seu
- Gostar de quem não se importa
- Reclamar, quando se tem muito para ser feliz

Pare não só desta vez, faço disso um hábito:
- Aprenda a ouvir o seu coração
- Reconhecer a sintonia da vida

Pare de vez em quando ou nunca, 
mas se não parar,
o tempo irá parar de vez pra você. 

 

Troca de Livros em São Paulo

Traz um e leva outro.
A troca poderá ser feita na estação Vila Matilde do metrô, zona leste de São Paulo.
A artista plástica e escritora conta que aceita também doações.
Campanha divulgada no blog e no facebook
http://magiadossentimentoss.blogspot.com.br/

https://www.facebook.com/semeandoestrelass/

Acesse o facebook para ver os livros disponíveis

Recuo do mar em 2017 nas praias brasileiras

O recuo das águas tem sido de assustar, se não foi para tsunami, quando então haverão de voltar?
O mar afastou-se, alertando toda gente. Consumada profecia, que nos faz pensar.
Especula-se que ventos fortes e a lua das baixas marés foram os responsáveis por este pesar, mas só a natureza é sábia, cabe-nos por hora apenas conformar e aguardar o que mais há de vir.



 

agosto 18, 2017

Não estorva

Há quem faça Yoga, que bom... se joga.
Há quem vive na folga, nadando na fortuna da sogra.
Há quem até praga roga e se empolga.
Há quem já teve o nome de Olga.

Há quem curta qualquer tipo de droga e ainda esnoba.
Há quem num copo d'água de afoga.
Há todo tipo de gente, há quem tudo cataloga.

Há quem viva calado e quem dialoga.
Há quem resolva e quem revoga.
Há quem desiste e há quem topa.

Desafoga, 
não é bem visto quem interroga.

do livro em andamento Recomeço



Tranquei minha gaveta de encantos
a sete chaves
e para piorar, ainda as perdi.
Quando necessário
saberei abri-la,
afinal só eu conheço o segredo.

Tem dias

De lavar a alma
lavar a roupa de cama.
Renovar a ternura e
deixar de tremer
com a feiura dos
nossos medos. 

 
Até os nossos sonhos breves
nos chegam carregados
de ilusões.

Vícios de um sonhador

Por mais que entendamos os nossos sonhos serem surreais, ainda assim nos entregamos a eles. Sem sonhar, a vida fica mais difícil e decepcionante, já que nada é fácil. 
Sonhamos demais, alguns de nós, quase que o tempo todo. Sonhamos sonhos pequenos e sonhos gigantescos, até fora do nosso alcance, sonhar é da gente.
Acreditar em nossos sonhos, é acreditar num quase impossível, mas provável. É a realidade composta, vista pelos olhos do sonhador.

do livro em andamento Histórias de nossas vidas

 

Sem perdão, sem volta

Pessoas são de uma espécie muito peculiar e nem todas sabem aproveitar a vida como se deve. Embora saibamos que todos somos farinha do mesmo saco, havemos de convir que alguns deles não são de boa qualidade.
Muito fácil agradar, ser gentil e educado, não custa praticamente nada, mas há gente tão sem noção, que enxerga apenas o próprio umbigo. Ofendem, magoam e passam por cima sem o menor escrúpulo. Algumas delas até percebem o seu erro e então se desculpam; vai de cada um perdoar ou não, eis a questão. Tudo depende do quão grave tenhamos sido atingidos com essa pobreza de espírito. 
Pequenos deslizes acontecem, metemos os pés pelas mãos e erramos mesmo, mas quando o intuito é de alfinetar, não há como perdoar. Uma vez termos perdido a confiança, perdida fica; nunca mais olharemos da mesma forma de antes.
A mágoa consumida é horrível, bom se pudéssemos evitá-la. Nos atinge profundamente, é uma ferida que nunca para de doer. 

do livro em andamento Histórias de nossas vidas

 

Verdades mentirosas

Pessoas confiáveis não são as mais simpáticas, não é regra, não é lei, mas são transparentes; são aquelas que não tem meias palavras e dizem o que precisa ser dito. Há diversos tipos de verdades, pelo menos é assim que enxergam os mentirosos.
Nos frustramos por confiarmos demais, pois acreditamos todos serem dignos de nós, no entanto, as experiências desgastantes nos alertam para novos confrontos e assim aprendemos a ter sempre um pé no chão. 
Damos chances, uma atrás da outra, para que não nos precipitemos em julgar, mas aqueles que faltam com a verdade mais de uma vez, não mais receberão de nós o respeito. Fazem valer da suposição que por conta da nossa ingenuidade, possamos ser facilmente enganados. Viver com a insegurança nos abala, deixamos de confiar no alicerce onde ambos pisamos.
A verdade tem que ser uma só, doa a quem doer; não precisa de máscaras, de disfarces. Pode até ser uma verdade cruel, mas necessária. Os que mentem, o fazem verdadeiramente e assim entregam de bandeja o seu mau caráter.

do livro em andamento Histórias de nossas vidas.

 

agosto 15, 2017

Vestidos de pecados

Nós todos carregamos a marca dos nossos pecados, embora camuflada. Não é encontrada na pele, não é tatuada, é marca que se vê estampada na alma, para que nunca nos esqueçamos dela; é relembrada dia após dia, mesmo que acreditemos termos superado.
Há diversas formas de se pecar, como é sabido, porém, acusam-se pecadores como se fossem imunes a eles.
Todas as pessoas, de uma forma ou de outra carregam tal marca.
Peca-se bajulando, pois toda e qualquer bajulação é falsa.
Peca-se invejando, desejando o que não é nosso.
Peca-se em exageros de vaidade, de gula e avareza.
Peca-se considerando ser melhor que outros.
Pecar para uns, inclusive, é até um vício, não sabem viver sem eles.
Peca-se inadvertidamente e conscientemente. O pecado existe para nos tentar e não conseguimos nos esconder.
Pecadores estão por toda parte, pecados já nasceram conosco.
Peca-se fingindo sermos inocentes, quando se conhecem as nossas culpas. Peca-se deixando de admitir.
Entende-se como um dos piores pecados, a ignorância.


do livro em andamento Histórias de nossas vidas

 

Intuição

A palavra intuição vem do latim “ intueri”, que significa considerar, ver interiormente. Quando pressentimos, estamos  usufruindo de um conhecimento que já esta dentro de nós, esperando ser ativado.
A sua manifestação é voluntária, aparece do nada e faz  com que duvidemos de algumas certezas, desconfiemos do que até já estava no lugar. Sentimos uma sensação inexplicável e somos imbuídos a segui-la, mesmo sem entender os motivos.  Grande é o desafio de aceita-la, inclusive de saber interpretá-la, já que não nos oferece base sólida.  As pessoas que tem mais facilidade são as que já puderam anteriormente trabalhar a sua auto estima, são mais propensas a confiarem no que sentem, mas qualquer um de nós é capaz.
A intuição é um dos dons mais preciosos que recebemos.
É o tal desconfiômetro, quando algo dentro da gente nos diz que devemos prestar mais atenção, aprender e observar.
Ela é nossa aliada, não é preciso teme-la.


do livro em andamento Encantamentos místicos

Energia das mãos

Tudo que nos oferece conhecimento é válido, pois é aprendendo todos os dias que nos tornamos pessoas melhores.
O ato de dar e receber por exemplo, parece simples para quem sabe fazer isso até de olhos fechados, mas não são todas as pessoas que tem facilidade.
Há quem nada dê, por medo de faltar-lhe.
Há quem dê, esperando algo em troca.
Mas há também quem pense no próximo com a importância necessária e assim dá tudo de si, sem nada cobrar. 
Dar por si só, já mostra o quanto somos desprendidos e voluntários, já que nesse mundo nada trouxemos e dele nada levamos.
A sabedoria universal está disponível para qualquer pessoa, basta que tenha a intenção de absorvê-la e praticá-la.
Inclusive, para que as energias fluam de uma forma harmoniosa em nossa vida, é interessante entender o processo, que é muito simples e não custa nada.
Toda vez que oferecer alguma coisa ou que for pagar alguém, faça isso com a mão direita e quando for receber, que seja com a esquerda. Não há briga entre elas, nenhuma é melhor que outra, mas são juntas que fazem com que haja uma circulação, invisível aos nossos olhos, mas não aos nossos sentidos. No sentido horário, mantendo esse movimento, tudo flui melhor, nada estaguina e a energia ruim, se teimar em existir, termina por dissipar-se.

do livro em andamento Encantamentos místicos

Já que estou falando de mãos, deixo neste dia, inclusive, minha homenagem aos canhotos, pois hoje comemora-se mundialmente o seu dia. Somente eles é que sabem sobre as dificuldades enfrentadas num mundo feito apenas para destros.


agosto 14, 2017

Como transformar derrotas em vitórias

1 - Entendendo que nem tudo acontece como e quando a gente espera;
2 - Aprendendo com as nossas falhas, pois numa próxima tentativa haverá maior chance de acertos;
3 - Não desistir, acreditar que o que queremos seja possível, nem que seja feito de outra forma;
4 - Não sentir-se incapaz, diminuído, pois é muito provável que grande parte dos problemas enfrentados não foram de ordem especificamente pessoal;
5 - Aproveitar melhor o tempo, reagrupando ideias, planejando futuras mudanças, ao invés de estancar no meio do caminho, considerando-se inútil;
6 - Olhar a sua volta e perceber quantas dificuldades outras pessoas passam e que as suas não são maiores e nem mais importantes;
7 - Buscar nova motivação de uma forma mais viável, para que não esbarre em limites, que pelo menos por hora não pode ultrapassar;
8 - Unir-se ainda mais aos que te querem bem, observando e excluindo invejosos;
9 - Reconhecendo erros, aceitando nossa vulnerabilidade, mas acima de tudo confiando que dias melhores virão, visualizando esse caminho tão sonhado, como se ele já existisse.


do livro em andamento Encantamentos místicos

 

agosto 11, 2017

Religiosidade

Todos queremos viver para sempre, ter uma alma imortal, não sermos esquecidos, a religião preenche muitos vazios existenciais.
A inteligência nos foi oferecida para o nosso próprio desfrute, para evoluirmos, mas a religiosidade é só uma opção.

Religião é paradoxal e contraditória, é a linguagem que escolhemos para encaixarmos quase que racionalmente coisas que não entendemos.
Por conta do nosso livre arbítrio, por estarmos aptos a tomar decisões, geralmente as que nos parecem acertadas, seguimos com nossas vidas crentes que as nossas verdades é que devem prevalecer.
Buscamos caminhos facilitados, porque sabemos que esta é uma curta jornada, diante do quanto desejamos seguir. Não nos desabona sermos assim, imediatistas, sabemos que temos pouco tempo para realizar a contento todo o esperado.
Embora saibamos quase tudo o que queremos, não sabemos tudo o que precisamos e então nos sentimos vulneráveis e um tanto solitários.
Voltamos nosso pensamento ao berço, somos como crianças a espera de colo, de alguém que possa passar a mão na nossa cabeça e resolver para nós o que sozinhos não conseguimos resolver.
Esse amor que procuramos vem do criador, o pai de todos os seres que nos acolhe e nos embala, independente de nossas escolhas. Ele está sempre disposto a nos ajudar, mesmo que nos desviemos, seja por um motivo ou outro.
Esse pai, o que chamamos de Deus é benevolente, nos aceita até com todos os nossos defeitos, nos ensina e nos orienta. Temendo castigo, aprendemos a conduzir a nossa vida de uma forma mais acertada e é assim que a religiosidade nos favorece.
Somos seres complexos, porém já completos, basta que entendamos e aceitemos as nossas limitações.


do livro em andamento Encantamentos místicos

Num dia