outubro 20, 2017

Eu e meu amor

Mexendo no baú dos guardados, aberto com o único propósito de buscar uma lembrança específica, me deparei com outras tantas.
Me lembrei do primeiro beijo que ele me deu, dos amassos na área aberta da empresa onde trabalhávamos; quentes aquelas horas de almoço.
Meu primeiro namorado, mas já caso sério, tão sério que estamos juntos até hoje e olhe que já se passaram mais de três décadas.
O mais emocionante nem é a lembrança, mas o dia de hoje, afinal aquele menino ainda possui a ingenuidade e certa timidez de antes. Continua igual, lindo como sempre, é a mesma pessoa íntegra, só os seus cabelos é que embranqueceram.
O amor que ele me trouxe desde o começo continua forte e decidido e o meu por ele renovando-se.

 

outubro 15, 2017

Feridas asas da liberdade


Cada um de nós se comporta diferente diante de fortes emoções.
Alguns as dissolvem feito açucar na água, outros fazem delas calda de caramelo.
Não sou uma pessoa de sentimentos descartáveis, fui feita para a intensidade e quando não posso viver o que desejo, eu escrevo sobre isso.
Talvez em nem tenha amado tanto quanto pensei, talvez eu tenha amado só o que me fizeram sentir com relação a mim mesma.

No poço das vaidades afogamos as mentiras nos contadas ao longo do tempo, cuja intenção fora a de evitar depois, excesso de autoestima.
Desilusões são sentimentos de porão e quando insistimos em causas perdidas, estamos apenas renovando o adeus.... mesmo sabendo disso, melhor ter amado e perdido, do que nunca ter amado.
Quando perdemos, deixamos de ser quem éramos e jamais haveremos de ser novamente. Quando aprendemos a cuidar, o amor nos encanta, nos protege e nos faz acreditar sermos pessoas melhores do que realmente somos.

As mesmas portas abertas para uns, permanecem trancadas para outros. O fato de termos a chave do cadeado, não significa que abriremos para qualquer um.

do livro  Histórias de nossas vidas 


A carta de Seth ( Cidade dos Anjos)

Sou feito de sentimentos, emoções, de luz, de amor.
Sou a voz que você ouve quando pede um conselho,
sou quem te toma nos braços quando necessita,
talvez, agora, enquanto lê essas palavras, eu esteja aí, ao seu lado,
olhando dentro dos seus olhos como quem quisesse enxergar
o que teu coração demonstra,
mais tarde… à noite, quando você se deita…
sou quem nina seus sonhos sentado ao seu lado
esperando você dormir… dizendo que tudo vai ficar bem.
Se ao menos você pudesse me perceber,
se notasse o que sinto ao seu lado…
basta você querer,
basta por alguns instantes esquecer seus problemas,
fechar os olhos, como se nada mais existisse,
me deixe chegar perto de ti… te abraçando…
sinta meu coração batendo ao compasso do teu…
sinta que não está sozinha, nunca esteve!
Apenas esqueceste de olhar mais com os olhos do teu coração…
então abra os olhos… veja os meus… me conheça.
Quem sou eu pra pedir para que me note?
Apenas um anjo que se deixa levar por suas emoções,
que desconhece o que é errado… se entrega, se rende…
vagando por estrelas, nuvens, pelo céu escuro da noite…
olhando pelos outros, despertando amores, anseios,
paz nas almas que fraquejam,
sentado ali de cima olhando você…
te observando… deixando, às vezes, uma lágrima cair
e se fazer uma gota de sereno que te toca os lábios…
lágrima essa por não poder nada mais que apenas te ver…
sentir sem poder tocar.
Manifestando através de pequenas coisas,
como um sorriso sincero nos lábios de alguém que você não conhece,
o toque de uma criança a te fazer carinho,
palavras escritas nas páginas de um livro que te chamam atenção,
palavras que mexem e emocionam o coração ditas do nada,
como um sussurro em seu ouvido…
e se um dia uma brisa leve e suave tocar seu rosto,
não tenha medo,
é apenas minha saudade que te beija em silêncio.
Os humanos têm um hábito muito peculiar
de julgar seus semelhantes por sua aparência,
de rotular pessoas as quais nunca viram…
apenas pelo modo como ela se apresenta…
porém, consigo ver dentro de cada um o que realmente são…
e me assusto algumas vezes em como podem os humanos
deixar-se levarem por embalagens, por invólucros…
deixam de terem muitas vezes ao seu lado verdadeiros tesouros,
amizade sincera, lealdade, companheirismo…
simplesmente por não terem gostado do rosto do indivíduo.
Imagine uma roseira cheia de espinhos,
ninguém acreditaria que dela pudesse brotar uma rosa tão bela,
sensível e delicada

É do interior que nascem as flores.
Pude conhecer seu interior…
me deparei com uma flor linda…
e com muitas qualidades.
Se preserve assim…
muitas vezes é melhor sermos o que realmente somos…
a viver como as pessoas acham que deveríamos ser…
Não existe ninguém melhor, ou pior que ninguém…
apenas diferentes umas das outras e essas diferenças
são que mostram quem realmente você é.
Fico assim… dizendo as coisas que me aparecem dentro do peito,
contando o que se passa em mim, como se estivesse desabafando…
pois Deus nos fez para cuidar dos outros…
e quem cuidará de nós?
Continuarei aqui…
meio que escondido, ao teu lado, te olhando, te sentindo…
esperando para que um dia você deixe seu coração “olhar” 
e me ver…
daí, enfim, poderia eu mostrar o quanto você é especial pra mim.
Um poema deixado no ar,
palavras implorando para viver como uma estrela que o dia não vê
e que espera a noite chegar para poder mostrar-se,
a canção de amor que sai da sua boca…
são as coisas que sempre sussurro ao seu coração,
tento traduzir emoções que nunca senti antes,
algo realmente novo pra mim,
paz, atração, paixão, amor,
algo especial…
sincero… verdadeiro.

 

Puro Êxtase - texto premiado

Puro Êxtase - poesia
Concurso Nacional de Poesia e Verso - Letras no Brasil III Taba Cultural Editora - RJ –
Prêmio de Edição - agosto/2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor

A troca de olhares
tem a cumplicidade de mil frases
tem a simplicidade de mil faces
todas numa só

O prazer de estar viva
tem a complexidade de mil doses
tem a finalidade de mil vozes
todas sem nó

Os lábios selados
têm a esterilidade das rudes palavras
têm a compatibilidade de mudos desejos
todos impronunciáveis

Tudo traduzido no instante
em que o sorriso encabulado
vem sempre ao lado
de caprichos que o coração não revela

Aliciar seus instintos
entregues sem fôlego
provoca a adrenalina
que muitos jamais irão conhecer.


 

Leveza de um sonho - texto e tela premiada

Leveza de um sonho - poesia
Grande Concurso 2000 de Poesia e Prosa - Taba Cultural Editora - RJ - Prêmio de Edição – fevereiro 2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor



Suavemente deleito-me em seu colo
numa longa tarde de verão
e meus traços já tão marcados
pelo tempo que não se perde em vão

Sutilmente invado o êxtase
no qual repousa teu voluptuoso sorriso
delirante de desejo e espanto
às vezes chegando até a ser omisso

Inerte e confuso ficas diante
de meu corpo que como antes
te enlouquece e rouba os sentidos
todos repelidos pelo momento que se finda.


 

Devaneios - texto premiado

Devaneios - poesia
Concurso Anuário dos Escritores 2001 - Rio de Janeiro - RJ – Litteris Editora –
Prêmio de Edição - janeiro/2001
LIVRO 1 – Cúmplice do amor

Ver-te livre como o vento em dia de tempestade
é como ter-te puro e somente em verdade
não mais acorrentar-te em pensamentos febris
que tantas vezes te roubaram a razão

Sentir-te arrojado no sorriso despojado da face
é como florescer numa manhã
derradeira de primavera
onde quisera eu estar contigo muitas vezes
mas que nem sempre
nos foi possível revelar tal instinto

Que gosto é esse que tu tens
que me embriaga e me entontece
inebriando minha razão
invadindo a solidão
que já me é companheira de horas aflitas

Debruço no teu peito ofegante
onde esqueço das tormentas que me afligem
onde perco a razão e em vertigem
posso fazer de conta e por minha conta
ser tantas quantas já quis

Neste instante não tenho nome nem país
me entrego às malícias estonteantes do teu corpo
que me arrasta e cola ao teu
fazendo do suor nossas vestes desta noite.




Resgate - texto premiado

Resgate - poesia
Concurso Nacional de Poesia e Verso - Letras no Brasil III - Taba Cultural Editora - RJ
Prêmio de Edição - agosto/2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor

Fico quieta num canto a ouvir o murmúrio das pessoas
muitos rostos, muitas vozes, mas as palavras são vazias
sem sentido, um apelo de gesto nobre urge
e ressurge o amargo gosto de solidão

Frios olhares vagueiam perdidos aos montes na multidão
sorrisos de canto de boca, restos de pranto
injusta e liberta força do ser sobre si mesmo
que num apelo aflito quer resgate da alma

Por que não clamam por amor, já que lhes resta gritar?
Por que não gritam pela liberdade de pensamento então?
Mas só a ilusão faz morada num impulso de sobreviver,
nas conversas, nas frases imorais que pronunciam

Em minha essência triste existe um áspero silêncio
um árduo vazio calado, chamuscado de incertezas
que tenta, num ato aflito, lançar mão de sutilezas
e de certezas reage ao intuito de magoar-se

Atiro-me de cabeça num salvamento mútuo
tentando alcançar um passado não muito distante
em que errante  soube ser fiel
cruel as verdades que teimavam em existir dentro de mim.


 

Intimidade - texto premiado

Intimidade - poesia
X Concurso Nacional de Poesias Sebastião Rosa e Silva e Iracema Trinco Ribeiro -Tijuca – RJ  Menção Especial - agosto/1999
LIVRO 1 – Cúmplice do amor

Quem é você, mulher que ataca e fere
não pensa, só repele
os que te causam grandes emoções
os que te trazem em turbilhões
aventuras, loucuras
despertando-te para a vida

Arranca do teu peito essa amargura
e mostra a ternura do teu ser
arrasa com teu sorriso limpo
e deixa de esconder tuas fraquezas
solta os cabelos e vem sentir teu sabor

Deixa tuas garras de lado
atua como no teu melhor espetáculo
arrepia tua pele e deixa-te invadir de amor

Não mais afastes aqueles que te causaram medo
não maltrates os que te têm por rival
faz deles degraus para o teu sucesso

Permite brotar na terra
teus frutos doces e suculentos
nobres almas que vão espalhar por toda face
o que aprenderam contigo

Seja íntima de ti mesma
mistura o teu suor com do teu homem
e te inebria de lágrimas de prazer
você merece toda felicidade
que não soube causar-te até agora.
 
 

Imortalidade - texto premiado

Imortalidade - poesia
Concurso Seletiva Nacional de Novos Poetas Brasileiros – Fundação Câmara Brasileira de Jovens Escritores - RJ - Prêmio de Edição - junho/2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor

Quero abrir mão de meus segredos
e dos bens materiais
para que renove minhas forças
e enobreça meus astrais.

Espero sorrir sem motivo
e ser como estrelas banais
que cintilam independente
do que sintam os mortais

Ter na pele o cheiro
e o toque dos desejos imorais
para que respire a fundo
e queira morrer jamais

Ver longe num pensamento
os que buscam vidas reais
e ser para cada um deles
pesadelos ou sonhos imortais.
 
 

Talvez Numa Concepção recebeu 2 premios

Talvez Numa Concepção - poesia
- V Concurso Internacional Literário de Primavera -  Arnaldo Giraldo SP para o livro "500 Outonos de Poesia e Prosa" - Prêmio de Edição – maio 2000
- Concurso Nacional de Poesia e Verso - Letras no Brasil III - Taba Cultural Editora- RJ –
Prêmio de Edição - agosto/200I
LIVRO 1 – Cúmplice do amor




Talvez te conceda precocemente
o poder de me dominar...
mas antes, consequentemente,
quero poder amar...

Amar os homens e as mulheres,
as flores, a chuva, o vento...
estar no instante da vida
apta a ser inseminada
pelo contagiante prazer de viver...

Vomitar incontidamente o que me machuca o coração
respirar pelos poros o cheiro da vastidão
que podem ter meus dias e noites...
tão cheios de sonhos mau exibidos!

Falta-me a felicidade de conduzir-me mais adiante
muito mais à frente do que possa ter imaginado um dia
falta-me a honestidade de reluzir
num mundo onde a gente mal pode existir
mais fácil seria se extinguir ...

Não me entrego assim de bandeja aos falsos dissabores
involuntários lamentos do meu espírito
Posso entregar-te sim, nas tuas mãos, meu passado...
eu num estado repleto de mim...como já o fiz tantas vezes,
tudo pode ser teu, meu amor,
mas no momento certo, na hora certa, é que devo ir-me contigo...

Antes quero saber dos porquês, encarar os maus dias
provocar ciúmes... causar inveja
quero ser dona do mundo
quero ser promíscua no ventre das noites mal dormidas
sozinhas no meu quarto
quero lutar contra minha própria ignorância e inexperiência...

Quero chegar-te uma mulher plena
estender-te mãos firmes sem o tremor das incertezas
quero partilhar-te serena
certa de que dei o melhor de mim em tudo... sempre!

Enquanto isso... fica por aqui ao meu redor
pelas beiradinhas ... e te conduzo pra dentro a todo instante
basta que acredites que fazes parte de mim há muito...
que jamais saíste do meu peito, da minha vida...

Espera para ter-me por completo
o que tu vês não é como quero que me vejas
sei que posso dar-te muito mais aos teus dias
difíceis dias onde conduzes tua lucidez controladamente
para não te tornar homem triste e derrotado...

Não te apresses meu amor... senão o que vai carregar de mim serão
apenas algumas peças de um quebra cabeça...
correndo o risco de faltar-lhe uma peça chave
a qual pode perdê-la no tempo
e nunca mais conseguir montar-me novamente, emoldurando, idolatrando
como já o fez tantas vezes

Ama-me à tua maneira, não me importo
só quero e reporto que faça parceria das minhas vitórias
pois nada de mim valeria se não existisse você.



Desabafo de amor - texto premiado

Desabafo de Amor - prosa
Concurso Literário E Por Falar em Amor ... Casa do Novo Autor Editora/ SP –  Prêmio de Edição - junho/ 2000  para o livro "E por Falar em Amor"
LIVRO 1 – Cúmplice do amor



O amor às vezes
nos mostra caminhos incompreensíveis
nos põe à prova
envolve tanto os sentidos
nos faz renascer

Confunde o coração
nem sempre sabemos a direção a seguir
a palavra certa a dizer
ainda assim
nada mais pode ser tão grande e forte
modifica, engrandece a alma
  transforma um pensamento

Machuca, fere
algumas vezes é egoísta, mesquinho
mas se trabalharmos bem
podemos conhecê-lo

Ele nos arranca também a essência
muitas vezes deixamos de ser
o que conhecemos de nós mesmos

Quantas vezes ele cruzar seu caminho
tantas serão as vezes que ele te invadirá
por isso tudo
muitos preferem nunca se entregar

A entrega total a esse eclipse da vida
nos fortalece
nos torna especiais
num mundo de tantos iguais

Lute sempre para preservar o seu
só você é responsável pelo seu engrandecimento
mais ninguém...

Febre de você - texto premiado

Febre de Você - poesia
Grande Concurso 2000 de Poesia e Prosa - Taba Cultural Editora - RJ - Prêmio de Edição - maio/00
LIVRO 1 – Cúmplice do amor




Quem dera eu pudesse ter você de novo
gosto de pecado num vão momento
mesmo que num pensamento
na rebeldia de um instante

Esquecer teus erros e desventuras
e poder da tua boca
ter o prazer de um beijo roubado
mesmo que simulado numa ilusão

Perder-me desvairada
sem sentido, sem razão
invadindo tua vida
como um vírus
consumindo-te pouco a pouco.

Areia fina - texto premiado

Areia Fina - poesia
Grande Concurso 2000 de Poesia e Prosa - Taba Cultural Editora - RJ - Prêmio de Edição - maio/00
LIVRO 1 – Cúmplice do amor





Escorrendo pela ampulheta, dia após dia
esperando impacientemente o momento de findar
a dor do sofrimento...chegou você !

Das lágrimas pude colher pedrinhas de diamante
depois das palavras do teu coração,
as amarguras, pude transformá-las em flores
levemente caindo em minhas mãos

Saber que você pode estar por aí
num pensamento, numa lembrança de mim
querendo me esquecer talvez
ou mesmo viver-me mais do que nunca
num instante roubado
faz de mim nesta louca existência
tão grande quanto pude desejar ser um dia.



A outra face - texto premiado

A Outra Face - poesia
Grande Concurso 2000 de Poesia e Prosa - Taba Cultural Editora - RJ - Prêmio de Edição - maio/00
LIVRO 1 – Cúmplice do amor






Desprotegida talvez em nuance
desnuda da vergonha da carne
pudera vestir-te de romance
sem o propósito do assédio

Quem dera não existissem rostos
nem facetadas expressões dissimuladas
nos corpos de tão pequeno vulto
deixando aflorar o nu da alma

O pudor da mente se dissolveria
e da pele apenas se teria
a inócua beleza e perfeição do ser.
 
 
 
 

Cinzas não Envelhecem - 3o lugar - obra premiada

Cinzas não Envelhecem – prosa
Concurso Literário Antologia Literária “ Letras da Paixão” – Casa do Novo Autor Editora / SP – 3º Lugar – 2010
LIVRO 3 - Intensa





Um dia a história já teve muitas cores e tons de juventude, mas hoje deve emoldurar-se apenas de cinzas, posta à fogo, apesar de não findar nem envelhecer.
Os sentimentos, um dia anotados, se queimam em chama forte e enquanto tremula o fogo, se testemunha a instabilidade dos pensamentos.
Os vestígios se espalham escandalosamente em agonia e nos queimados, se percebe partículas cintilantes, luzes brilhantes como estrelas de um anoitecer.
O coração em poesia, repleto de ilusões ainda, é remetido ao passado, o que deveria ter ficado distante, mas que nunca alcançou distância inatingível.
A fumaça que sobe, lança as lembranças novamente ao porão de guardados, quisera jamais ter de voltar lá.
Fica-se em retaguarda. Dizemos não às ilusões, às inconstâncias, mas elas permanecem. Quantas são as histórias que ao longo dos anos foram amontoando-se, porém, sentimentos enraizados, brotam em todos os verões.
Muitas páginas da história já amarelaram, mas nunca foram esquecidas Pudera delas poder falar, sem comprometer a sanidade mental, pois as lembranças muitas vezes ferem tanto quanto uma lâmina afiada.
Os pensamentos existirão, jamais haverão de se extinguir, porém deve-se policiar, para não sofrer em demasia.
Quem já viveu um grande sentimento, quem já conheceu o amor em suas diversas formas, poderá entender quantos são os vestígios que temos de recolher, pois partes de nós mesmos vão sendo deixadas pelo caminho.
A sensação do inexato incendeia a lembrança e as fagulhas se espalham no ar que respiramos. Impossível de se prender nas mãos, escapam por entre os vãos dos nossos dedos e se juntam com o ar que novamente havemos de respirar, voltando para dentro e se incrustando nas paredes do nosso coração. É fato.


 

A puta que o pariu recebeu 2 prêmios

A puta que o pariu - poesia
 (publicada como Aquela que o Pariu para adequar-se as regras)
- V Concurso Literário de Poesias, Contos e Crônicas -  Alphas -  Associação
Artística e Literária "A Palavra do Século XXI" - Cruz Alta - RS
Prêmio de Edição  -  outubro/2001
- I Concurso de Poesias "A Magia da Poesia"-Fábio José Rocha
www.amagiadapoesia.hpg.com.br - RJ  
1a Lugar  Prêmio de Publicação- Maio/2002
LIVRO 2 – Tendências do coração

Mundana essa cadela
que numa cela de vertigens
encarcera corpos cansados
mortos dia a dia
consumidos na solidão de seu ventre.

Largada é essa desvairada
que arrota pelos esgotos
a lama pecaminosa dos escrotos
que muito veem e nada fazem.

Ignora a desolação renitente
encobre a decorrente dívida de gratidão
que deveria ter pelo amor que recebe
do simples cidadão que a escolhe por parir.

Covarde vagabunda que desola
assola o indivíduo, denigre a alma
e cospe-o para fora de seu aconchego
pelas ruas criminosas no desassossego da violência
desmerecendo o título de pátria mãe gentil.

Afoga teus filhos numa seca viril
esfola os joelhos do homem senil
que ainda crê na tua vã dignidade

esquecendo que acima de qualquer dúvida
ele que desperta teu poder de sedução.

Irresponsável esquece patifa
que tem parceria divina
um elo profundo com cada um
porque da tua cria é que terá do que comer
mesmo que seja
a própria mão que te alimenta.

(pela vida nas cidades grandes) 



Títulos premiados

Cinzas não Envelhecem – prosa
Concurso Letras da Paixão promovido pela Casa do Novo Autor – Sp - Capital
3º Lugar, recebendo 10 edições do livro – outubro 2010
LIVRO 3 - Intensa
Inverso da Alma - poesia
Concurso Falando de Amor – Casa do Novo Autor – SP
Prêmio de Edição – abril 2010
LIVRO 2 - Tendências do coração
Vestida de Luar – conto
Texto escolhido dentre vários inscritos, para fazer parte do site de costura - http://www.moldesrobertomarques.com.br/
Prêmio de Publicação – 2006
LIVRO 3 - Intensa
Minha Bike  – crônica
I Concurso de Crônicas de Ciclismo da Bike Zapzone – realizado pelo site www.bike.zzn.com - www.novaliteratura.kit.net
Prêmio de Publicação – abril 2004
LIVRO 3 – Intensa
Encontro Marcado - conto
Concurso Letras no Brasil V - Taba Cultural Editora - RJ
Prêmio de Edição - agosto/2002
LIVRO 3 – Intensa
Brinde à Lua - poesia
I Concurso Literário São Paulo em Poesia - Casa do Novo Autor - SP - Prêmio de Edição – julho 2002
LIVRO 5 – Místicos Sentimentos 1
Brinde à Lua - poesia
I Concurso Literário São Paulo em Poesia - Casa do Novo Autor - SP - Prêmio de Edição – julho 2002
LIVRO 5 – Místicos Sentimentos 1
Vida de Poeta - poesia
Grande Concurso Literário Paixão e Amor na Literatura - Casa do Novo Autor - SP – Prêmio de Edição – julho 2002
LIVRO 2 – Tendências do coração
Poesia à Uma Estrela - poesia
Concurso Literário Anuário de Escritores 2002 - Casa do Novo Autor - SP - Prêmio de Edição - abril/2002
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Separação - poesia
Concurso TheInternational Library of Poetry - www.poetry.com
Prêmio de Edição em Livro e CD, poema recitado - março/2002 – Owings - LIVRO 2 – Tendências do coração
A puta que o pariu - poesia Publicada como Aquela que o Pariu
- V Concurso Literário de Poesias, Contos e Crônicas -  Alphas -  Associação
Artística e Literária "A Palavra do Século XXI" - Cruz Alta - RS
Prêmio de Edição  -  outubro/2001
- I Concurso de Poesias "A Magia da Poesia"-Fábio José Rocha
www.amagiadapoesia.hpg.com.br - RJ -
1a Lugar  Prêmio de Publicação- Maio/2002
LIVRO 2 – Tendências do coração
Devaneios - poesia
Concurso Anuário dos Escritores 2001 - Rio de Janeiro - RJ – Litteris Editora –
Prêmio de Edição - janeiro/2001
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Talvez Numa Concepção - poesia
- V Concurso Internacional Literário de Primavera -  Arnaldo Giraldo SP para o livro "500 Outonos de Poesia e Prosa" - Prêmio de Edição – maio 2000
- Concurso Nacional de Poesia e Verso - Letras no Brasil III - Taba Cultural Editora- RJ – Prêmio de Edição - agosto/200I
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Noite de Magia - poesia
- Concurso Anuário dos Escritores – Litteris Editora – nov2001
- Concurso Amor e Paixão – O Erotismo na Literatura – Casa do Novo Autor - Prêmios de Edição - junho 2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Resgate - poesia
Concurso Nacional de Poesia e Verso - Letras no Brasil III - Taba Cultural Editora - RJ
Prêmio de Edição - agosto/2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Puro Êxtase - poesia
Concurso Nacional de Poesia e Verso - Letras no Brasil III Taba Cultural Editora - RJ –
Prêmio de Edição - agosto/2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Mensagem para Você - conto
II Prêmio Amigos de Camões/2000 de Literatura, Conto e Poesia ALAC e WC Promoção Cultural - SJCampos - SP
Prêmio de Edição com Destaque Especial - agosto/ 2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Em Tempo - poesia
I Concurso Internacional de Poesia "Cantinho do Poeta II" - Londres - Inglaterra  - Prêmio de Edição - julho/2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Imortalidade - poesia
Concurso Seletiva Nacional de Novos Poetas Brasileiros – Fundação Câmara Brasileira de Jovens Escritores - RJ - Prêmio de Edição - junho/2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Desabafo de Amor - prosa
Concurso Literário E Por Falar em Amor ... Casa do Novo Autor Editora/ SP –  Prêmio de Edição - junho/ 2000  para o livro "E por Falar em Amor"
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Febre de Você - poesia
Grande Concurso 2000 de Poesia e Prosa - Taba Cultural Editora - RJ - Prêmio de Edição – maio 2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Areia Fina - poesia
Grande Concurso 2000 de Poesia e Prosa - Taba Cultural Editora - RJ - Prêmio de Edição – maio 2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
A Outra Face - poesia
Grande Concurso 2000 de Poesia e Prosa - Taba Cultural Editora - RJ - Prêmio de Edição – maio 2000
LIVRO 1 – Cúmplice do amor
Intimidade - poesia
X Concurso Nacional de Poesias Sebastião Rosa e Silva e Iracema Trinco Ribeiro -Tijuca – RJ  Menção Especial - agosto/1999
LIVRO 1 – Cúmplice do amor


Encomendem seus livros digitais


 

outubro 14, 2017

Jogo da vida

Sempre que necessário, recomece sem medo, evitando a lembrança das derrotas. Somente seremos vencidos quando nos comportarmos como derrotados, sem mesmo ter acabado o jogo.  Mesmo que levemos conosco o estigma do desânimo, precisamos nos reerguer, respirar fundo e continuar em frente.
A vida é um ciclo contínuo, as mesmas energias positivas que antes nos inspiraram, poderão voltar e até com mais força.
Só quando desistimos é que nada mais acontece, porque estagnados não proporcionamos novas chances.
O nosso foco primordial é o da satisfação pessoal, e sabemos que uma vez determinados, nada e ninguém poderá nos intimidar, portanto, é somente lutando que nos tornaremos bons competidores, promissores candidatos a vencer, mesmo que seja numa desgastante partida.
Ao vestirmos a camisa do nosso time, o dos otimistas, nos tornamos orgulhosos e confiantes, dispostos ao confronto homem à homem se for preciso.
A disputa para chegar onde desejamos é cerrada, não é nada fácil manter o controle da bola da vez, mas é contando com uma equipe de peso, pessoas em quem confiamos, que podemos fazer as melhores jogadas.
Driblando o oponente com destreza e conhecimento de causa, estaremos preparados para tudo. Só perde quem não sabe perder, pois perdedores são derrotados por natureza.


do livro em andamento Histórias de nossas vidas






Portas do além

Ignoramos sinais que nos chegam, porque são sutis, quase que imperceptíveis, mas seremos capazes de entende-los, se estivermos espiritualmente preparados.
Embora vivamos num mundo concreto e material, forças invisíveis nos auxiliam, nos protegem e nos impulsionam, basta que aprendemos a identifica-las.
Os avisos, as mensagens nos chegam de diferentes formas, as vezes em sonhos, as vezes com pressentimentos.
O nosso despreparo espiritual nos cega diante do que nos é posto à frente; chegamos até intuir determinados sentimentos, mas desconfiamos deles, já que desconhecemos os mistérios.
Anjos e até demônios nos acompanham, cada um com seu devido propósito, independente do nosso conhecimento, mas o nosso comportamento diante de determinados fatos, a forma como levamos nossa vida e encaramos desafios, podem abrir ou fechar portas, quer sejam as que nos levariam aos céus ou ao inferno.
São as nossas escolhas que determinarão o ser que terá maior poder sobre nós.


do livro em andamento Encantamentos místicos 




Lançamento do livro Recomeço

Aos amigos, clientes e seguidores do cantinho literário, venho informar novamente com muita satisfação e sentimento de dever cumprido, o lançamento de mais um dos livros de poesia, prosa e pensamentos.
Tenho publicado muitos dos textos no decorrer destes últimos meses, mas agora você receberá a edição digital na íntegra, na versão PDF; são 90 páginas de puro sentimento.
Amigos pessoais e clientes poderão reivindicá-lo, que enviarei gratuitamente. Aos demais, peço uma colaboração espontânea, cujo depósito de R$30,00 poderá apoiar satisfatoriamente a escritora liberal que vos fala.
Para falar comigo cliquem nos endereços abaixo:

"RECOMEÇO tem um pouco de mim, um pouco de você."
 
Facebook de Artes - https://www.facebook.com/catiagarciailustradora
Facebook Pessoal - https://www.facebook.com/catiacatitagarcia
E-Mail - artescatiagarcia@gmail.com
Telefone - 11  99741.0864 whatsApp 
Blog - http://magiadossentimentoss.blogspot.com.br/

 
 
Melhor ter amado e perdido, do que nunca ter amado.
Quando perdemos, deixamos de ser quem éramos e jamais haveremos de ser novamente. Quando aprendemos a cuidar, o amor nos encanta, nos protege e nos faz acreditar sermos pessoas melhores do que realmente somos.


outubro 12, 2017

Alegria canina



Eu em meus pensamentos desse dia, sentadinha com meu copo lá na frente do condomínio, agradeci Nossa Senhora por todo amor e proteção da nossa vida, só pedi um pouco mais de alegria, anda faltando risadas...
No outro lado da rua quase deserta, já que é feriado, um senhor passa na frente de um portão, e um cachorro late.
Fiquei observando, mas ele não podia me ver.
E então, ele volta e faz uma dancinha para o cachorro, a coisa mais engraçada dos últimos dias.
Deveria ter mais ou menos uns 80 anos. Trajava roupa de turista, bermuda, meias e sapatos, parecia feliz da vida, enquanto caminhava só. Ri alto em ver a figura, brincando espontaneamente.
Mas ele não se conteve, depois que o cachorro quase ficou rouco de tanto latir, andou alguns metros e voltou, fez a dancinha de novo, porque naquele momento era o que lhe trazia maior alegria.
Pensa numa pessoa nada! É assim que eu me sinto, quando sou atendida, toda vez que faço um pedido, considerando ser grandioso, quando na verdade a grandiosidade é assim, apresentada nas pequenas alegrias pessoais.


do livro em andamento Histórias de nossas vidas

 

Dia das crianças, dia de todos nós

O nosso maior sonho de criança era o de virar gente grande, poder fazer o que não nos permitiam antes, mas então a gente cresce e fica chato, sem graça, finge que sabe de tudo um pouco.
Bom mesmo é manter sempre desperta e divertida a criança que existiu em nós, aquela que tinha sonhos dos mais absurdos e acreditava que fosse possível realizá-los. Vamos trazer de volta a nossa doçura, o nosso brilho dos olhos, sempre tão cheios de esperança.
Que também tratemos as nossas crianças com amor, mas principalmente respeito, o fato de serem ingênuas, não significa que sejam estúpidas.
Criança precisa de espaço, de voz, precisa de proteção, de quem as ajude a crescer com naturalidade e confiança.